O mercenário que pintou Porto Alegre

Avaliação do Usuário
PiorMelhor 
Criado em Sábado, 21 Setembro 2013

 

 

 

O mercenário que pintou Porto Alegre

 

Porto Alegre vista das janelas da Santa Casa pelo pintor Herrmann Rudolf Wendroth, em 1852

 

O mercenário alemão Herrmann Rudolf Wendroth, que esteve em Porto Alegre sete anos depois de finda a Guerra dos Farrapos (1835-1845), deixou fixadas em aquarelas algumas das paisagens daquela Porto Alegre que não tinha mais que 25 mil habitantes e que resistira com sucesso a três cercos farroupilhas. Das janelas da Santa Casa, que então era um dos edifícios mais imponentes da vila, ele pintou a paisagem abaixo.

 

Porto Alegre em 1852

 

No primeiro plano está o que hoje é o início da Avenida João Pessoa, na frente do que era um dos principais quartéis de Porto Alegre (o do Oitavo Batalhão), junto à Praça do Portão.
Wendroth, de cuja biografia pouco se sabe, veio ao Brasil em 1851 entre as tropas contratadas pelo governo imperial destinadas a combater o ditador argentino Juan Manoel Rosas. Depois de um ano, durante o qual havia se envolvido em farras e brigas em Pelotas, onde ficou preso, o pintor chegou a Porto Alegre e, depois, foi ao interior da Província inclusive na busca de ouro em Lavras. Esteve também em Torres e em Rio Pardo. Morreu por volta de 1860, não se sabendo se foi em Porto Alegre ou Buenos Aires. Deixou uma coleção de aquarelas que acabou sendo presenteada o imperador Dom Pedro II.

FONTE: Jornal Zero Hora, de 12 de agosto de 2010

Tuesday the 17th. Joomla Templates Free.