Festival de Cinema em Porto Alegre

Criado em Quarta, 06 Agosto 2014

 

 

 

FESTIVAL DE CINEMA EM PORTO ALEGRE

 


“Apoteose do Povo e das Elites ao Festival de Cinema de Última Hora” foi o título da reportagem que encerrou a cobertura do evento cinematográfico que monopolizou a atenção dos porto-alegrenses entre os dias 1 e 3 de julho de 1960. A Rua 7 de Setembro não é a Hollywood Boulevard, nem o Cine Rex pode ser comparado ao famoso Chinese Theatre, onde o Prêmio Oscar era entregue antigamente, mas que o I Festival do Cinema Nacional de Porto Alegre foi um acontecimento para a Capital não resta dúvida. Na sexta-feira, dia 1º, desembarcaram de um Caravelle da Varig, no Salgado Filho, artistas como: Oscarito, Grande Otelo, Maria Della Costa, Aurora Duarte, Odete Lara, John Herbert, Eva Wilma, Hélio Souto, Cyll Farney, Ruth de Souza, Alberto Ruschel e Marly Bueno, além do costureiro Dener e suas manecas, entre outros. A caravana saiu do aeroporto num insólito cortejo de jipes conversíveis DKW/Candango, que depois de desfilar pela Rua da Praia chegou ao Palácio Piratini para um coquetel.

 

Desfile na Rua da Praia 

Cyll Farney, kombi e black tie

Chegada no Palácio Piratini

 

O jornal Última Hora, que promovia a festa, registrou: “Incalculável massa popular acorreu para ver de perto seus ídolos da tela”. Eles “desfilaram sob intensa aclamação, delírio de foguetes e chuva de papel picado”. Houve entrega da chave da cidade pelo prefeito, jantar dançante no Country Club, visita às corridas do Jockey Club, baile na Associação Leopoldina Juvenil e sessões especiais na Câmara de Vereadores e na Assembleia Legislativa. Os visitantes tiveram tempo até para assistir a alguns filmes, entre eles Cidade Ameaçada, Duas Histórias e Na Garganta do Diabo.

 


A rua sete de setembro, onde ficavam o Cine Rex e a redação da Última Hora, foi tomada pelo público, que queria ver os astros do cinema nacional, como Grande Otelo, Ruth de Souza e Oscarito. Os artistas desfilaram em jipes conversíveis candango pela Rua da Praia e depois foram recebidos pelo governador Leonel Brizola no Piratini. 


Em 1960, enquanto em Los Angeles a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas atribuía 11 prêmios Oscar ao filme Ben-Hur, com o ator Charlton Heston, aqui na Capital o I Festival de Cinema Nacional de Porto Alegre tinha como principal atração a presença de Oscarito. O encontro, que monopolizou a atenção dos moradores da cidade trouxe muitas personalidades, mas as grandes vedetes, sem dúvida, foram Oscarito e Grande Otelo.

 

 

Na noite de sábado, segundo dia do evento, foi apresentado no Cine Teatro Rex o filme Duas Histórias (Cacareco Vem Aí), que tinha no elenco, além de Oscarito, Cyll Farney, Sonia Mamede e Odete Lara. O cômico subiu ao palco, citou Mazaroppi e Ronald Golias, disse que ele e Grande Otelo “nasceram para trabalhar juntos”, e deu ainda um show relâmpago de mímica que deliciou a plateia. Domingo, num churrasco na sede campestre da Varig, na Zona Sul, Oscarito voltou a encantar os presentes.

 

No I Festival de Cinema Nacional de Porto Alegre, realizado em julho de 1960, o ator Oscarito (1906-1970) foi a principal vedete

 

Pilchado como gaúcho, protagonizou diversas brincadeiras durante a exibição, para os convidados, de um grupo de danças gauchescas. Oscarito, entre outros ídolos do cinema nacional de então, participou também do programa radiofônico Maurício Sobrinho, no Cine Castelo. A imprensa registrou que, ao terminar o espetáculo, na saída do cinema, pelo menos quatro jovens desmaiaram e “o entusiasmo era tanto que a polícia teve de efetuar um verdadeiro serviço de salvamento para retirar as crianças do meio da multidão que rodeava o ônibus onde se encontravam os artistas”. O Festival todo foi um grande sucesso. Ao deixar o churrasco, no qual Odete Lara tomou cachaça numa guampa, Eva Wilma chorou e revelou: “Nunca vi tanto carinho com a gente por parte do público”. O prefeito Loureiro da Silva, que tinha dado, no aeroporto, a chave da cidade à atriz Maria Della Costa, extrapolou e disse que o evento “superou os festivais de Cannes e de Punta del Este, porque, além de ser de cinema brasileiro, foi realizado em Porto Alegre”. Os artistas levaram como recordação medalhas comemorativas cunhadas especialmente para a ocasião e entregues pessoalmente pelo governador Leonel Brizola. Nelas, estava forjada a frase: “A indústria nacional do cinema será o elo que unirá todos os brasileiros”. Em agradecimento, numa carta enviada aos organizadores do festival, o ator Hélio Souto resumiu o sentimento de todos os artistas que participaram da caravana: “Tão cedo não se apagarão de nossas lembranças as recepções carinhosas que recebemos em Porto Alegre”.


FONTE: Jornal Zero Hora de 30 de junho e 2 de julho de 2014. Colaboração de Letícia Coimbra

 

 

Tuesday the 17th. Joomla Templates Free.