A Praça

J. L. C. Weiss

Num alvoroço de gritarias,
Na Praça da Matriz, aos pés da igreja,
Vagam crianças, de lá e de cá,
Com os seus cantos e correrias.

Ali, nas alamedas e corredores,
Entre pulos e brincadeiras pelos terrenos
Rebrilham os olhos dos pequenos
Com seus anseios e seus amores.

Sob as árvores, além das flores dos canteiros,
Sentados pelos bancos, casais de namorados.
Ausentes do mundo, sonhando, apaixonados,
Esquecem da existência, dóceis, romanceiros.

Nas flores que se alinham nos canteiros
Em fileiras iguais e coloridas,
Nas aves que saltitam pelas árvores
Umas por outras perseguidas …

Tudo é Vida!